O sexo atrês exige muita reflexão e cuidados
Publicado em 2012-07-24 na categoria Sexo&Cia / Sexo a três


Os casais que pretendem arriscar numa nova vertente para aquecer a vida sexual, ou que querem simplesmente explorar uma aventura diferente, ponderam muitas vezes experimentar o sexo a três, mas enfrentam algumas dúvidas, como por exemplo: o risco de envolvimento emocional pode ser grande no sexo a três em relação à pessoa 'de fora' que entra na relação?

A resposta: Há muito que se fala que o sexo deveria ser feito apenas por amor. É comum essa dúvida para muitos. Fazer sexo com alguém que se ama, ou que se quer bem, é bom. Porém, fazer sexo por mero prazer também pode ser uma alternativa. Certa vez ouvimos algo que fez todo o sentido, não nos lembramos do autor mas dizia: "fome de amor satisfaz-se com amor; fome de sexo, com sexo".

Generalizar a intencionalidade das pessoas é abrir um campo para equívocos e até preconceitos, cerceando a liberdade individual de manifestar as suas diferenças. Cada pessoa, cada casal, deve ter o direito de poder escolher a forma de expressar-se sexualmente e vivenciar o seu prazer, claro, desde que não firam algumas regras sociais a exemplo de praticar sexo em público. Por outro lado, as pessoas não devem sentir-se obrigadas a vivenciar determinadas práticas sob qualquer tipo de pressão, inclusive aquelas veladas do tipo "todo mundo faz, então, também tenho de fazer".

Quando se relaciona e se tem contato com pessoas, é quase impossível não termos algum tipo de impressão ou sentimento em relação a elas. Quando esse contato parte para o campo do sexo, a intimidade torna-se mais intensa. Nesses momentos, é difícil dizer de forma racional que não se quer ter nenhum tipo de sentimento, por ser muito difícil não tê-lo.

A pergunta é importante, pois possibilita compreender o motivo pelo qual o casal pretende praticar o ménage. Esse casal deve estar bem no sentido afectivo e no sentido sexual. É desaconselhável partir para o ménage, ou para qualquer outra prática alternativa, a fim de resolver problemas ou pendências da relação. Nesse contato com a terceira pessoa isso tudo pode vir à tona e intensificar os conflitos do casal.

A terceira pessoa deve atender às necessidades do casal e não apenas as de um ou de outro. As pessoas que praticam o ménage geralmente têm familiaridade com algumas regras justamente para não acontecer um envolvimento maior com a terceira pessoa. Dentre as regras estão que carícias e intimidades devem acontecer dentro da relação e não fora dela. Assim, jamais deve existir programas a dois, ou mesmo telefonemas desnecessários com essa terceira pessoa, pois poderia ser considerado traição.

A cumplicidade e o envolvimento do casal devem estar fortalecidos e de comum acordo para a prática do ménage. Com esses quesitos, o casal estará preparado para discutir entre si diversas questões que porventura possam surgir a partir desta ou de qualquer outra experiência que se proponham.

"O meu marido quer fazer sexo a três. Fiquei assustada."

Resposta: As fantasias sexuais povoam o imaginário da grande maioria das pessoas. Isto para não falar que todas as pessoas têm algum tipo de fantasia sexual. No campo da fantasia não existem limites. Os limites surgem no momento de realizá-las. Desse modo, nem todas as pessoas se disponibilizam vivenciá-las.

Cabe a cada pessoa escolher quais fantasias deseja ou não vivenciar. Partir para uma vivência sob pressão - "se eu não fizer poderei ser abandonada", "os meus conhecidos tiveram determinada vivência e eu também tenho de tê-la"... - nem sempre rende bons resultados. A conversa com o parceiro(a) sobre as impressões e sentimentos, ou mesmo o que ambos esperam dessa experiência. A pesquisa sobre o assunto também ajuda muito nessas horas.

A expressão francesa ménage à trois significa "arranjo a três". O ménage é diferente do swing, que envolve a participação de pelo menos dois casais. O parceiro faz um pedido para realizar uma fantasia sexual dele, que é fazer sexo com uma terceira pessoa. Apesar da mulher se sentir assustada com o pedido dele, vale a pena ela perguntar-se se existe a possibilidade - ou pelo menos a curiosidade - e a sua disponibilidade para realizar essa fantasia. Em outras palavras, essa fantasia também é dela?

O próximo passo seria conversar com o parceiro e expressar os seus sentimentos e impressões em relação a ideia de realizar a fantasia de colocar mais uma pessoa entre o casal. Esse é um detalhe importante: a terceira pessoa não será nem para um e nem para o outro na relação, mas sim, para ambos. Daí a importância de o casal decidir em conjunto realizar, ou não, essa fantasia.

Qualquer prática sexual torna-se viável desde que seja de acordo mútuo, não envolva menores de idade e não provoque riscos aos parceiros. Desse modo, vocês são livres para decidir até onde vocês querem realmente ir com o vosso desejo e com o vosso corpo. Jamais um parceiro deve impor o seu desejo ao outro para realizar algo não é desejado por ele. O consenso deve sempre ser respeitado e valorizado.

Importa ressalvar que a prática do ménage jamais deve servir para resolver problemas do casal, seja de ordem afectiva, seja de ordem sexual. Se o casal atravessa por dificuldades, o ménage pode intensificar ainda mais os problemas enfrentados. Dêem um tempo para "digerir" a ideia proposta. Caso vocês decidam vivenciar a experiência do ménage, não se esqueçam: a camisinha é fundamental.

"Sou casada e tenho um apetite sexual muito forte, mas o meu marido não me acompanha. Actualmente, comecei a ter desejos de praticar ménage à trois. Seria eu, o meu marido e mais uma mulher, tenho receio de ficar com ciúmes, mas ao mesmo tempo imagino-me a fazer sexo oral com outra mulher, e só de imaginar, fico excitada, será que devo fazer? Será que este tipo de relação pode afectar o meu casamento?

Resposta: Sem dúvida nenhuma introduzir uma mulher (ou um homem) na relação do casal pode afectar um casamento. Esta questão aponta indícios importantes de dificuldades enfrentadas pelo casal. O primeiro ponto é o facto é da mulher sentir que tem um desejo sexual maior do que o dele. Isso aponta que não tem existido uma sintonia entre ambos. O segundo ponto é ela achar que poderia ter ciúmes de ver o marido com uma outra mulher. Isso pode ser excitante numa fantasia, mas isso não é garantia de que a realização dessa fantasia trará prazer.

Como colocado na resposta à pergunta anterior, não existe limites no campo da fantasia, mas na realização delas. Acrescentaria aqui que conta também a maturidade da pessoa - ou do casal - em lidar com o "depois" de ter realizado a fantasia. Se o casal atravessa algum tipo de dificuldade, sugere-se que administrem isso num primeiro momento. Caso contrário, possíveis pendências entre ambos tornar-se-ão mais intensas, gerando ainda mais conflitos.

As "regras" do ménage

  • A cumplicidade e o envolvimento do casal devem estar fortalecidos e de comum acordo para a prática do ménage
  • A terceira pessoa não será nem para um nem para o outro na relação, mas sim, para ambos
  • A terceira pessoa deve atender às necessidades do casal e não apenas as de um ou de outro
  • O casal deve estar bem no sentido afetivo e sexual
  • A prática do ménage jamais deve servir para resolver problemas do casal, seja de ordem afectiva ou sexual. Se o casal atravessa por dificuldades, o ménage pode intensificar ainda mais os problemas enfrentados
  • Carícias e intimidades devem acontecer dentro da relação e não fora dela. Assim, jamais devem existir programas a dois, ou mesmo telefonemas desnecessários com essa terceira pessoa, pois poderia ser considerado traição
  • Pode ser muito difícil não se ter nenhum sentimento ao fazer-se sexo com uma terceira pessoa
  • É preciso reflectir sobre o nível de maturidade de cada um em lidar com o "depois" de ter realizado a fantasia
  • No campo da fantasia não existem limites. Os limites surgem no momento de realizá-las. Desse modo, nem todas as pessoas se disponibilizam vivenciá-las
  • Não se deve impor uma fantasia ao outro. O consenso deve sempre ser respeitado e valorizado
  • Não partam para uma fantasia caso não sintam desejo ou não se sintam seguros para realizá-la
  • Qualquer prática sexual torna-se viável desde que seja de acordo mútuo, não envolva menores de idade e não provoque riscos aos parceiros. Desse modo, vocês são livres para decidir até onde querem ir com o vosso desejo e com o vosso corpo
  • Usem camisinha sempre

Atenção!
As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psicologia e não se caracterizam como sendo um atendimento.

 
Informe Abusos | Mapa do site | Copyright | Franchising | Contactos

ErosGuia 2012
Desenvolvido por Ideia CRIATIVA